Páginas

quinta-feira, 25 de março de 2010

Dança do Ventre. Vamos dançar? *.*




A dança do ventre é uma famosa dança praticada originalmente em diversas regiões do Oriente Médio e da Ásia Meridional. De origem primitiva e nebulosa, datada entre 7000 e 5000 a.C, seus movimentos aliados a música e sinuosidade semelhente a uma serpente foram registrados no Antigo Egito, Babilônia, Mesopotâmia, Índia, Pérsia e Grécia. Com a invasão dos árabes, a dança foi propagada por todo o mundo.
A origem está relacionada aos cultos primitivos da Deusa Mãe, Grande Deusa ou Mãe Cósmica, (provavelmente por este motivo, os homens eram excluídos do cerimonial) relacionados aos rituais de fertilidade da mulher.
A expressão dança do ventre surgiu na França, em 1893. No Oriente é conhecida pelo nome em árabe raqṣ sharqī (dança oriental), ou raqs baladi (dança do país ou dança popular).
Os movimentos inicialmente eram mais primitivos, muito diferente do que vemos mais popularmente. É composta por uma série de movimentos: vibrações, impacto, ondulações e rotações que envolvem o corpo como um todo. Na atualidade ganhou aspectos sensuais exóticos, sendo excluída de alguns países árabes de atitude conservadora.
Tecnicamente, os movimentos são marcados pelas ondulações abdominais, de quadril e tronco isoladas ou combinadas, ondulações de braços e mãos, tremidos e batidas de quadril, entre outros. Segundo a pesquisadora norte-americana Morroco, as ondulações abdominais consistem na imitação das contrações do parto: tribos do interior do Marrocos realizam ainda hoje, rituais de nascimento, em que as mulheres se reúnem em torno da parturiente com as mãos unidas, e cantando, realizam as ondulações abdominais a fim de estimular e apoiar a futura mãe a ter um parto saudável, sendo que a futura mãe fica de pé, e realiza também os movimentos das ondulações com a coluna. Estas mulheres são assim treinadas desde pequenas, através de danças muito semelhantes à Dança do Ventre.
Ao longo dos anos, sofreu modificações diversas, inclusive com a inclusão dos movimentos do ballet clássico russo em 1930.
Dentre os estilos mais estudados estão os estilos das escolas:
  • Egípcia: manifestações sutis de quadril, domínio de tremidos, deslocamentos simplificados adaptados do Ballet Clássico, movimentos de braços e mãos simplificados;
  • Norte-americana: manifestações mais intensas de quadril, deslocamentos amplamente elaborados, movimentos do Jazz, utilização de véus em profusão, movimentos de mãos e braços mais bem explorados;
  • Libanesa: com tremidos e batidas de quadril mais amplos e informais, seguidos de deslocamentos muito simplificados.
No Brasil a prática revela uma tendência de copiar os detalhes de cada cultura, para fins de estudo e aumento de repertório. O estilo brasileiro tem se revelado ousado, comunicativo, bem-humorado, rico e claro no repertório de movimentos.
Não tem como tirar os olhos de uma mulher fazendo a dança do ventre. É fascinante ver o corpo a serviço de movimentos naturais e que a deixam ainda mais bela, em sua pura essência. Cada músculo, osso e pele se movem em harmonia para a dança e criam um clima de sedução e mistério.
Nesta hora, a guerreira, que faz tripla jornada de trabalho, pode deixar a feminilidade aflorar e é ai que consegue atingir a naturalidade, livrando-se do estresse e colocando as pressões do dia-a-dia bem longe de toda a delicadeza permitida ao universo forte e sensível das mulheres.
"A dança do ventre mexe com a fantasia e o emocional, estimulando o corpo e acabando com as inibições. Quem acha que tem o corpo feio, vai descobrir uma silhueta linda, num processo natural", diz a professora de dança do ventre, Lulu Sabongi.
A sensualidade também é presente em toda a dança do ventre. Os movimentos do corpo estimulam a libido de quem os faz e de quem vê. "A mulher passa a se ver como um todo e acaba mexendo com a fantasia masculina porque faz movimentos que se prestam ao sexo", diz Lulu.
Mas não dá para confundir. A dança é apenas sensual, mas não passa por apelos ou vulgaridade. "É uma brincadeira com o corpo que faz uma volta ao lúdico", diz a dançarina. Outra vantagem é modificar a postura e os próprios movimentos, que ganham mais graça e suavidade, além de dar mais forma ao corpo.
OS BENEFÍCIOS
A dança do ventre é antes de tudo uma arte bonita de se ver, porém requer muito estudo não só para aquelas que visam a profissionalização como também para quem deseja praticar uma atividade prazerosa e desfrutar de seus inúmeros benefícios.
A prática constante dessa arte revela-se como um importante passo em direção ao auto-conhecimento por meio da consciência corporal, desde os suaves movimentos de mãos até os estarrecedores shimmis de quadril. O domínio do próprio corpo deve ser encarado como algo que será adquirido de acordo com o tempo de cada organismo, promovendo uma percepção inusitada que ultrapassa a barreira do mero exercício físico e permite um mergulho interior acerca do resgate dos conceitos de feminilidade, segurança e auto-estima. Dessa forma, nasce uma nova mulher, mais confiante, mais bonita e, por que não mais sedutora? Enfim, mais confortável com o próprio corpo.
Os benefícios da Dança do Ventre estão fundamentados em aspectos físicos e terapêuticos. Para compreender a dinâmica deste processo, a seguir serão listados os principais pontos a serem trabalhados na dança.

Aspectos físicos:
  • Queima calorias e auxilia no processo de emagrecimento;
  • Aumenta a resistência física;
  • Aumenta a irrigação sanguínea principalmente na região do abdômen;
  • Alonga, enrijece e tonifica vários grupos musculares (abdômen, pernas, braços, costas e glúteos);
  • Fortalece a musculatura pélvica, auxiliando o momento do parto;
  • Modela braços, cintura, abdômen, glúteos, costas, coxas e panturrilha;
  • Melhora o condicionamento das articulações;
  • Auxilia no regulamento dos hormônios do aparelho reprodutor;
  • Massageia os órgãos internos, estimulando seu funcionamento;
  • Redução dos sintomas da TPM e das cólicas menstruais;
  • Promove o relaxamento muscular aliviando tensões;
  • Desenvolve a coordenação motora;
  • Trabalha o equilíbrio;
  • Promove a reeducação postural;
  • Aumenta a flexibilidade;
  • Desenvolve a agilidade mental;
  • Desperta a noção de musicalidade e ritmo;
  • Desenvolve a espacialidade;
  • Estimula a atenção e a concentração.

Aspectos terapêuticos
  • Auxilia no processo de desinibição e superação da timidez;
  • Ajuda a atingir um equilíbrio natural de sensualidade, longe da vulgarização;
  • Desperta a sensibilidade artística e criativa;
  • Desenvolve a expressão;
  • Promove a dissociação corporal e o auto-conhecimento;
  • Resgata a feminilidade;
  • Eleva a auto-estima;
  • Desenvolve a autoconfiança e a sensação de bem-estar com o próprio corpo;
  • Contribui para o alívio do stress e das tensões cotidianas;
  • Permite um intercâmbio cultural com o mundo árabe.

Não há nenhum tipo de restrição quanto à prática da dança do ventre. Essa é uma dança feita para a mulher em geral, independente da idade ou do tipo físico, não há restrições quanto à sua prática exceto por quem apresenta problemas graves de coluna. As gestantes podem dançar com a devida orientação médica e desde que a gravidez não seja de risco.
Por fim, desmistifiquemos o mito de que a dança do ventre causa o aumento da barriga. Talvez se a bailarina adotar uma má postura, com o bumbum projetado para trás e o abdômen para frente possa haver um acúmulo de gordura localizada no baixo ventre, outra explicação pode ser atribuída ao fato da dança acolher todos os tipos físicos e o público acabar julgando que a dança pode levar ao aumento de peso. Seja qual for o porquê de tal pensamento, a verdade é que a dança do ventre é um excelente exercício para queimar calorias e modelar não só a região do abdômen como o corpo em sua totalidade, de maneira suave e prazerosa.
Procure alguém capacitado para lhe orientar e aproveite as inúmeras vantagens dessa dança encantadora!

E ENTÃO!! VAMOS DANÇAR??? Rsrsrs

Beijinhos da Debbie


Fonte:http://pt.wikipedia.org/wiki/Dan%C3%A7a_do_ventre
Fonte: http://mulher.terra.com.br/interna/0,,OI505237-EI4788,00.html
Fonte: http://carolinagoulart.multiply.com/journal/item/2

7 comentários:

Eliana Pessoa disse...

Ô quanta coisa boa a dança trás PARA NÓS!!!
Vamos dançar sim!

Maitê disse...

Oi queridona !!!

Olha, eu acho um SHOW quem sabe dançar dança do ventre !!!! Mas particularmente eu acho que não conseguiria ... ou só depois de muito treino. Acho que é preciso ter muita flexibilidade e o meu corpicho melancia não tem (rs.........). Além disse,preciso emagrecer um pouquinho para colocar aquelas roupas lindas ...

ÓTIMO FINAL DE SEMANA PARA VOCÊ !!!

Beijinhos !

Depois dos 25, mas antes do 40! disse...

Acho lindíssimo mulheres que sabem mexer o corpo com tanta sensualidade, o esforçoc compensa! Mas não é para mim.

Beijos

Viagem Afora disse...

Dança do ventre é o maximo, mas é dificil pra mim !! Bjs
Ellen

Nanda disse...

Com certeza é uma dança pra lá de sensual! Acho lindo!
Beijoss

Patty Ribeiro disse...

Eu fiz durante um tempinho... queria voltar...

É muito lindooo!!

Não tiramos pq nem deu tempo!

Comemos tudo... rs

Bjs

Yuri disse...

Foi linda sua explicação sobre a dança do ventre, mas senti que os homens foram excluídos totalmente. Voce bem que poderia colocar algo a respeito da dança do ventre voltada para o masculino. Existem alguns estilos, poucos, mas que poderiam ser abordados.
Um abraço iluminado!